Dicas de leitura em Papel Pólen® para o Dia do Poeta

Dicas de leitura em Papel Pólen® para o Dia do Poeta

Poemas e poesias são textos profundos e cheios de sentimentos, e por isso merecem ficar registrados em um papel à altura. Pensando nisso, selecionamos cinco livros impressos no nosso Papel Pólen®, que oferece muito mais prazer em ler, para você se inspirar nessa data em que homenageamos quem sabe melhor do que ninguém como colocar emoções em palavras. Confira:

“Todo Amor”, de Vinícius de Moraes

O tema amor parecia velho quando Vinícius aliou a poesia dos livros à música popular, trazendo o sentimento para o centro das atenções como uma emoção sempre nova. O livro “Todo Amor” mais de cem fragmentos entre cartas, letras de música, poemas e crônicas, que revelam as várias facetas do autor que “reinventou o amor”.

“Caprichos & Relaxos”, de Paulo Leminski

Paulo Leminski foi um escritor, poeta, tradutor e professor curitibano. Tinha um jeito próprio e único de escrever poesia, usando trocadilhos e “brincadeiras” em seus trabalhos que eram audaciosos e contundentes. “Caprichos & Relaxos” foi best-seller na época do lançamento e se tornou um clássico para as futuras gerações.

“Poema Sujo”, de Ferreira Gullar

Ferreira Gullar foi um poeta, criador de cordel, dramaturgo e crítico literário e de artes. Escreveu seu maior clássico, “Poema Sujo”, durante seu exílio em Buenos Aires, em uma época de forte repressão política. A obra é considerada um canto desesperado por liberdade e, segundo o autor, foi escrita como “um testemunho final, antes que me calassem para sempre”.

“Poesia Completa de Alberto Caeiro”, de Fernando Pessoa

Fernando Pessoa nasceu em Lisboa, em 1888, e é considerado por muitos o maior poeta da língua portuguesa, sendo que usou alguns heterônimos, com personalidades complexas e distintas. “Poesia completa” apresenta a obra de Alberto Caeiro, um desses heterônimos,  considerado por Pessoa como o seu ‘mestre’.

“Ode a uma estrela”, de Pablo Neruda

Pablo Neruda foi um escritor e poeta chileno, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1971. Em “Ode a uma estrela”, ele conta a história de um homem que adora as estrelas e, ppor isso, resolve tirar uma delas do céu e mantê-la em segredo embaixo da cama. Trata-se de um passeio pelo amor e pelo sentimento de posse.

Escolha o seu favorito e aproveite o Dia do Poeta para se inspirar e emocionar com esses belíssimos versos!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Digite o código da imagem acima