Cheirinho de livro: de onde vem?

Cheirinho de livro: de onde vem?

Se tem uma coisa que (quase) todos os fãs de uma boa leitura concordam, é que sentir o cheiro de um livro novinho em folha é uma sensação indescritível… e incomparável! Mas qual será o segredo por trás desse aroma tão irresistível e que torna o hábito de ler ainda mais prazeroso?

Muitos estudiosos já foram atrás dessa resposta e a conclusão é que não existe uma fórmula mágica para produzir esse cheiro. Na verdade, o que sentimos é o resultado dos processos químicos e misturas de produtos que ocorrem durante a produção e fabricação.

Os livros novos possuem centenas de compostos orgânicos de várias origens na sua composição, que envolvem o tipo de papel utilizado, tintas aplicadas no texto e nas ilustrações, aderentes e outros. Todos esses componentes, quando aliados para que se chegue ao resultado final, produzem naturalmente um odor característico, que é o cheirinho que sentimos logo quando chegamos da livraria e abrimos o nosso novo “tesouro”.

Mesmo não existindo um grande segredo, o cheirinho de livro tem muitos fãs por aí, tanto que a fragrância inspirou a criação de perfumes e até velas, dá para acreditar? E é pensando nesses fãs que nós, da Suzano Papel e Celulose, nos preocupamos com a qualidade do nosso papel em todas as suas propriedades – inclusive o cheiro! – para estimular que eles leiam cada vez mais e tenha a melhor experiência possível enquanto descobrem as histórias registradas em nossas páginas.

E você já conhece o nosso papel Pólen®? Ele é ideal para o mercado editorial pois reflete menos luz e deixa a leitura muito mais agradável. Conheça mais sobre o nosso papel Pólen e as obras impressas com ele no Instagram @papelpolenoficial.

Fonte: Escrever e Ler (http://escrevereler.com.br)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

* Digite o código da imagem acima